WhatsApp_Image_2021-07-12_at_21.24.09-removebg-preview-300x235

John MacArthur pede que pastores preguem tema


O pastor John MacArthur está convocando pastores a pregar sobre a “visão bíblica da moralidade sexual” em 16 de janeiro em oposição a uma lei canadense que proíbe terapia para atrações sexuais indesejadas e confusão de gênero – o que costuma ser zombeteiramente referida como “cura gay” – definida para entrar em vigor no próximo mês.

MacArthur, conhecido por seu programa de TV e livros, publicou uma carta aberta no site de sua igreja, Grace Community Church, pedindo aos “ministros do Evangelho” que se juntem a ele no terceiro domingo do ano novo na pregação sobre “um visão da moralidade sexual”.

A iniciativa do pastor norte-americano se deu após ter recebido uma carta de um colega de ministério, pastor James Coates, da GraceLife Church em Edmonton, na província de Alberta.

Coates se formou no The Master’s Seminary liderado por MacArthur, e ganhou as manchetes quando ele foi preso por hospedar cultos domésticos em desafio às ordens do governo.

Coates alegou que o projeto de lei chamado C-4 , aprovado pela Câmara e pelo Senado canadenses no início deste mês, “vai diretamente contra os pais e conselheiros que procuram oferecer conselhos bíblicos com relação à imoralidade sexual e [ideologia de] gênero”.

A lei altera o Código Penal para tornar ilegal a chamada “cura gay”, remover uma criança do Canadá para outro país a fim de submetê-la a terapia que trate uma suposta disforia de gênero, anunciar, promover e/ou receber benefício material por fornecer tratamento para homossexuais egodistônicos.

Especificamente, a lei que tem previsão de entrada em vigor em 8 de janeiro descreve a crença bíblica de que “heterossexualidade, identidade de gênero cisgênero e expressão de gênero conforme o sexo atribuído a uma pessoa no nascimento têm preferência sobre outras orientações sexuais, identidades de gênero e expressões de gênero” como um “mito”.

Os críticos descrevem a “cura gay” como aconselhamento ou esforços para mudar a orientação sexual ou identidade de gênero de uma pessoa por meio de aconselhamento religioso ou tratamentos mais controversos, como terapia de choque elétrico.

No entanto, alguns conselheiros e ministérios cristãos têm rebatido essa acusação, pontuando que seu aconselhamento para pessoas que experimentam atração indesejada pelo mesmo sexo é mal compreendido e que “cura gay” é um termo politicamente carregado, projetado para enganar o público sobre o trabalho que fazem.

Os críticos da lei afirmam que a propagação da narrativa de que o aconselhamento e a confrontação bíblica sejam semelhantes à terapia de choque elétrico se tornou um “espantalho” para promover “métodos de aconselhamento unilaterais e tendenciosos”, considerando que esses tipos de tratamentos já são considerados na área médica mundial algo “bárbaro e antiético”.

Censura religiosa

Os oponentes do C-4 afirmam que a linguagem é muito ampla e poderia essencialmente proibir os líderes religiosos de pregar os ensinamentos sobre ética sexual e casamento encontrados na Bíblia ou aconselhar uma pessoa com atrações indesejadas ou dizer que a homossexualidade é pecaminosa.

Andrew DeBartolo, um professor veterano da Encounter Church em Kingston, província de Ontário, disse a MacArthur em outra carta que “a crença no desígnio de Deus para o casamento e a sexualidade agora será vista como um mito” no Canadá a partir de 8 de janeiro.

“Visto que esta lei entra em vigor em 8 de janeiro de 2022, pastores canadenses e fiéis vão pregar sobre o assunto, pedindo uma compreensão bíblica do pecado sexual, o julgamento eterno que recai sobre os pecadores impenitentes e que rejeitam o Evangelho, e a graça de Deus no evangelho que oferece perdão àqueles que se arrependem e creem em Cristo”, disse MacArthur.

“Em 1 Coríntios 6: 9-11, Paulo articula claramente por que devemos falar a verdade. […] Nosso chamado como ministros do Evangelho é pregar a verdade, confrontar o pecado e chamar todos os homens ao arrependimento e obediência ao Evangelho – as boas novas que alcançam a conversão da alma e salvam os pecadores da ira eterna”, acrescentou o pastor norte-americano.

De acordo com informações do portal The Christian Post, vários estados nos EUA proibiram a chamada “cura gay”, incluindo o estado natal de MacArthur, a Califórnia.

O pastor John MacArthur afirma que o governo da Califórnia “procurou proibir qualquer correção de uma visão antibíblica da identidade sexual”.

Um terapeuta cristão entrou com uma ação no início deste ano no estado de Washington, alegando que a proibição estadual do aconselhamento cristão sobre sexualidade em 2018 foi uma tentativa política de silenciar a dissidência e “impor sua própria nova ortodoxia em relação à moralidade sexual”.

No entanto, sua reclamação foi rejeitada por um juiz federal em setembro último.

Em 2019, um juiz federal indeferiu uma ação judicial de psicoterapeutas ex-gays contra a proibição de Maryland de profissionais de saúde mental fornecerem tratamento para homossexuais incomodados com suas preferências sexuais.

Já no Reino Unido, o Parlamento renovou os esforços para aprovar a proibição da “cura gay”, e a Aliança Evangélica levantou a preocupação de que o clero poderia enfrentar um processo criminal.

No entanto, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, garantiu aos líderes religiosos que os pastores não seriam criminalmente acusados por aconselhar pessoas com atração indesejada pelo mesmo sexo.





Gospel Mais Notícias

ADDRESS

908 New Hampshire Avenue #100, Washington, DC 20037, United States

PHONES

Phone: +1 916-8745-2235
Mobile: +1 916-875-22345
Fax: +1 916-8745-22357

E-MAIL ADRESS

email@email.com